Agroanalysis - A Revista de Agronegócio da FGV

Digital farming

Revolução tecnológica na agricultura

Dezembro de 2016

DIGITAL FARMING é a nova revolução da agricultura moderna. É uma tendência que promete mudar a forma com que os agricultores gerenciam a fazenda por meio de diversas tecnologias que possibilitam ações mais assertivas. A digitalização está ganhando importância e permitindo uma tomada de decisão mais precisa e rápida nas propriedades agrícolas. Isso tudo resultará em insights baseados em dados para melhorar a tomada de decisão e a implementação de estratégias na propriedade.

Com base em dados como imagens de satélite, previsões meteorológicas ou especificações do campo, a agricultura digital faz referência especialmente à tradução destes dados em informações úteis e recomendações personalizadas para o agricultor.

André Salvador, diretor de Digital Farming da Bayer, explica que o compromisso da empresa com a agricultura sustentável não se limita apenas a desenvolver sementes inovadoras e proteger as culturas. “Os avanços tecnológicos também oferecem aos agricultores métodos mais rápidos e precisos de monitoramento de suas plantas e para a tomada de decisões. Soluções digitais podem ajudá-los a entender melhor os processos em seus campos e lhes permitir tomar decisões mais rápidas, simples e calculadas”.

A Bayer quer apoiar esse desenvolvimento no futuro ao fornecer aos agricultores recomendações agronômicas específicas. Em conjunto com parceiros externos, a empresa está desenvolvendo produtos digitais com os quais as análises de campo e os modelos estatísticos são melhorados com outros dados e podem ser adaptados ou individualizados para um determinado campo, a fim de ajudar nossos clientes a melhorarem suas decisões.

O executivo comenta, ainda, que o crescimento de culturas de campo, por exemplo, pode ser monitorado com grande precisão a partir do espaço. As imagens infravermelhas via satélite indicam quais áreas de um campo estão sofrendo por fatores de estresse, mesmo antes de o olho humano poder detectar qualquer dano externo à planta. “Novas tecnologias digitais trazem oportunidades inteiramente novas. Elas podem otimizar a aplicação de produtos de proteção de cultivos e fertilizantes em países industrializados e trazer conhecimentos altamente especializados para os países mais pobres do mundo”, finaliza.

Entre outras iniciativas de digital farming para o desenvolvimento da agricultura de precisão, podemos mencionar o uso de aplicativos para tablets e smartphones, estações meteorológicas, armadilhas de insetos, drones para captura de imagens, telemetria, modelagem de previsão climática e sensores remotos.

Os esforços da empresa no emergente campo da agricultura digital incluem o comprometimento de investir pelo menos € 200 milhões em digital farming entre 2015 e 2020 e, atualmente, a comercialização e os testes de produtos que este segmento está fazendo em dez países, com o objetivo de rapidamente se expandir ainda mais e desenvolver o melhor sistema de apoio digital de proteção de cultivos para os agricultores.