Agroanalysis - A Revista de Agronegócio da FGV

O agronegócio é o seguinte

País segue, apesar da confusão política

Julho de 2017

DO PONTO de vista econômico, a questão central passou a ser: qual é o real impacto sobre a recuperação da atividade econômica oriundo do caos político instalado em Brasília? Sem sombra de dúvida, a percepção de risco sobre a economia brasileira aumentou a partir do surgimento das denúncias recentes. Isso decorre do fato de que a efetivação da aprovação das reformas ficou mais difícil. Obviamente, o cenário para a retomada de investimentos também ficou um pouco mais comprometido a partir das incertezas no campo político.

No entanto, os agentes parecem ter descolado relativamente o ambiente econômico do cenário político turbulento, até mesmo porque as diretrizes de política econômica foram preservadas mesmo em meio ao caos em Brasília.

Os mais entendidos apontam o final de setembro como decisivo para saber se o presidente Temer fica ou sai. De qualquer modo, na opinião da Agroanalysis, se o presidente sair, seu sucessor, escolhido por via indireta, manterá a equipe econômica. As reformas serão muito enxugadas, mas devem passar. Assim, o crescimento será muito pequeno, mas inflação e dólar ficarão comportados. A grande decisão virá apenas com as eleições de 2018.

Apesar das grandes contribuições prestadas para a economia brasileira, sozinho, o setor agro não conseguirá tirar o País do atoleiro. A economia só voltará a crescer realmente quando, de um lado, a indústria se recuperar e, de outro, quando for possível ver esta recuperação do lado do consumo das famílias. Infelizmente, a forte contração dos investimentos ainda observada ao longo do primeiro trimestre de 2017 sugere que temos um longo caminho pela frente.

A maior feira do setor de alimentos e bebidas do mundo, a Anuga, é realizada a cada dois anos na cidade de Colônia, na Alemanha. Devido à riqueza cultural e à reconhecida importância da América da Sul na produção de gêneros alimentícios, em uma parceria com a Koelnmesse – empresa realizadora da Anuga –, a FGV Projetos organizará uma versão da famosa feira em São Paulo, em 2019. A ANUFOOD Brazil, como será chamada, será a primeira grande feira do País focada em todos os segmentos da indústria de alimentos e bebidas. O evento contará, também, com a realização de conferências e seminários, que abordarão inovações em produtos, discussões estratégicas para o desenvolvimento da indústria, tendências de consumo, segurança alimentar, entre outros temas. Será um marco para o setor no Brasil e nos demais países da América do Sul, propiciando visibilidade global e oportunidades de abertura de novos mercados estratégicos para a indústria.

O Plano Agrícola e Pecuário (PAP) da safra 2017/18 – que entrou em vigor em 1º de julho e se estenderá até 30 de junho de 2018 –, como era de se esperar, não trouxe novidades para a produção. Houve uma pequena queda na taxa de juros e uma disponibilidade de recursos para o crédito rural que não acompanhou a taxa de inflação registrada a partir da safra 2016/17. A safra recorde de grãos colhida nesta temporada promove um grande salto no Produto Interno Bruto (PIB) do setor.

Com a chegada da estação de inverno e da seca, o mercado de carne bovina fica agitado na expectativa do cenário para o confinamento neste ano. Apesar de o preço do boi magro e da alimentação (elementos que correspondem a aproximadamente 90% do custo total) estar mais baixo na comparação com o ano passado, as recentes quedas nos preços da arroba do boi gordo achataram as margens da atividade. Em muitos casos, o resultado está negativo, aumentando a incerteza do confinador. A expectativa de prejuízo poderá afetar a quantidade de cabeças confinadas em 2017, em especial no segundo ciclo do confinamento. Uma melhoria dos resultados econômicos estaria atrelada a uma reação dos preços futuros da arroba do boi gordo.

Na cadeia sucroalcooleira, o destaque fica para o trabalho da Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (ORPLANA) na valorização deste importante elo da cadeia produtiva. São 33 associações na busca de uma linguagem comum para uma atuação mais sinérgica. O impacto da longa crise vivida pelo setor nesta década deixou enormes sequelas negativas. O momento é de superação e retomada do crescimento, com inovação e produtividade.

Na entrevista do mês, o presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Olinto Ramos, fala sobre a realização do Censo Agropecuário de 2017 a partir de outubro próximo até fevereiro de 2018. Cerca de 5,3 milhões de imóveis receberão em suas sedes as visitas dos recenseadores para a realização das entrevistas. A mobilização de pessoal e logística é enorme. Para o próximo exercício, o Instituto planeja realizar um novo levantamento anual, nos moldes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), uma espécie de PNAD Agropecuária.

Pelo nono ano consecutivo, a Agroanalysis publica o Caderno Especial da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), com a apresentação das principais ações desenvolvidas. Com doze anos de existência, a entidade soma, hoje, 4.743 associados ativos, com 24 núcleos de associados e doze municípios agregados.

Para encerrar, tem-se o registro especial da celebração, em 1º de julho, do Dia Internacional do Cooperativismo, cujo sistema engrandece o agronegócio brasileiro.