Agroanalysis - A Revista de Agronegócio da FGV

Produção de alimentos

Desafios e oportunidades para a agricultura brasileira

Agosto de 2016

ESTUDOS DESENVOLVIDOS por empresas e instituições relacionadas ao agronegócio indicam que, daqui a vinte anos, a população da Terra precisará de 55% mais alimentos do que consegue produzir hoje. Atualmente, há 7,1 bilhões de habitantes no mundo e, em 2050, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), chegaremos a 9,7 bilhões de pessoas. O desafio diário que se impõe a empresas e governos é como ajudar o agricultor a produzir mais com o mesmo espaço de terra e de forma sustentável.

Projeta-se que 95% da expansão da produção de alimentos nos próximos anos serão provenientes do aumento da produtividade; somente 5% virão de novas áreas agricultáveis. Nos últimos vinte anos, o Brasil aumentou em 240% sua produção agrícola e somente em 30% a área agricultável. Isso explica o crescimento do agronegócio mesmo em épocas de vacas magras para a maioria dos outros setores.

Em sua apresentação no Global Agribusiness Forum, realizado recentemente em São Paulo, Luiz Vieira, da PricewaterhouseCoopers (PwC), afirmou que, dado o crescimento da população mundial – sobretudo da chamada classe média emergente –, a comida ganhará cada vez mais importância e que o Brasil tem um enorme potencial para suprir tanto o crescimento de sua demanda interna, quanto a oriunda de outros países.

Segundo a FAO, o Brasil e a América do Sul serão responsáveis por 40% do aumento da produção de alimentos esperado para os próximos anos. O País tem a possibilidade de ser o grande celeiro sustentável da agricultura no mundo. A FAO registra, ainda, que, com programas, estratégias e ações estruturantes, o Brasil é uma referência internacional de combate à fome por adotar diretrizes adequadas. São experiências bem-sucedidas, por exemplo, a transferência de renda (Bolsa Família), as compras diretas para aquisição de alimentos e a capacitação técnica de pequenos produtores.

Nos últimos anos, políticas dessa natureza reduziram o número de pessoas que se encontram na condição de insegurança alimentar. O País é mundialmente importante na produção agrícola e na diversidade de alimentos. Em nível nacional, a produção e a disponibilidade de alimentos para o consumo da população não constituem riscos para a segurança alimentar e nutricional.

O Brasil está entre os líderes mundiais na produção de laranja, café, cana-de-açúcar, soja, feijão, carne bovina, abacaxi, milho, limão e banana, além de ter uma expressiva produção de leite. Decerto, ainda há muito o que melhorar.

RECOMENDAÇÕES DA FAO

- Turbinar a eficiência de processamento de alimentos;

- Otimizar a atividade das organizações não governamentais e das doações de alimentos;

- Usar a internet e as mídias sociais para potencializar o conhecimento e a conscientização;

- Tonificar a riqueza econômica e, consequentemente, o poder de compra;

- Investir em capacidade de armazenamento e logística para reduzir as perdas na cadeia de valor;

- Intensificar o acesso à educação e à informação;

- Eliminar as barreiras comerciais;

- Desenvolver novos modelos de negócio para atrair novos investimentos.