Cabe-nos esclarecer um das mais difundidas FAKE NEWS: O Brasil não precisa de pesticidas por ter muita disponibilidade de terras e clima favorável. Entenda o que faz dessa afirmação uma falácia

Seguir abordando os mitos que são divulgados sobre defensivos agrícolas é algo bastante importante para esclarecer à população o que são esses produtos e por que são necessários na agricultura moderna.

O assunto desta vez está relacionado à seguinte FAKE NEWS: o Brasil não precisa de pesticidas pois, com tanta disponibilidade de terra e clima favorável ao cultivo, não haveria motivos para utilizá-los na agricultura. Infelizmente, essa é mais uma informação distorcida que continua sendo repassada aos cidadãos.

De fato, o nosso País tem vasta disponibilidade de terras destinadas à agricultura e, sim, o clima tropical nos traz muitas vantagens. Graças a ele, temos uma grande variedade de culturas agrícolas sendo cultivadas, e a ausência de um inverno rigoroso, com presença de neve que restrinja as atividades agrícolas, permite ao agricultor brasileiro aproveitar ao máximo o tempo de plantio, cultivando de duas a três safras no mesmo ano.

Porém, é preciso levar em consideração alguns pontos: o calor e a umidade, característicos desse clima, podem favorecer a proliferação de pragas, como ervas daninhas, fungos, insetos, bactérias e vírus, que encontram condições favoráveis para reprodução, como alimento farto e ausência de quebra do clico de reprodução.

Por outro lado, nas regiões de clima temperado o calendário de plantio é muito mais restrito. Afinal, a chegada do inverno impossibilita, de fato, o cultivo. Além disso as pragas ficam inativadas nesse período.

Disponibilidade de áreas para cultivo

É preciso lembrar que boa parte das terras no nosso País é ocupada por vegetação nativa, ou seja, são áreas de preservação que não estão disponíveis para a agricultura – e assim deve ser. De acordo com dados da Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA, na sigla em inglês), o Brasil cultiva apenas 7,6% das terras – para comparação: a Dinamarca cultiva 76,8%; a Irlanda, 74,7%; os Países Baixos, 66,2%; o Reino Unido, 63,9%; e a Alemanha, 56,9%.

Por essa razão, o uso das áreas destinadas à agricultura precisa ser bem aproveitado, e a adoção das diversas tecnologias disponíveis, entre elas os defensivos agrícolas, apoia o agricultor exatamente nesse sentido. Trata-se de produzir mais e melhor sem necessariamente ampliar o tamanho das terras cultivadas.

Assim, usar as diversas ferramentas disponíveis na agricultura de forma adequada e integrada, seguindo as indicações de utilização e entendendo em qual fase cada uma delas se aplica, garante a manutenção da produtividade agrícola – que é imprescindível para que possamos seguir provendo alimentos e matérias-primas de forma sustentável.

Nota: versão produzida a partir do artigo original publicado na edição mensal da Revista Agroanalysis.

Autor

  • Diretor executivo da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui